Home » blog » O que é Yoga? Origem, Para que Serve e Como Praticar

O que é Yoga? Origem, Para que Serve e Como Praticar

Seja você praticante ou iniciante, preparamos um guia completo e resumido sobre o que é Yoga, além das aparências. Qual “tipo” escolher, para que serve e como praticar?

A prática de Yoga(Ioga) vem se popularizando cada vez mais no mundo ocidental. Não só com o crescimento de espaços, salas e academias pelas cidades. Mas também pela ampla divulgação de dicas e aulas pela internet.

Basta abrir o feed do Instagram, que sempre verá fotos de belas paisagens com alguém fazendo Sirsasana, a postura invertida sobre a cabeça. Por isso, quem vive conectado já tem uma breve noção do que é Yoga. Ou pelo menos do que aparenta ser… Será que é isso mesmo? 

Vivemos tempos acelerados, com aumento de transtornos mentais como a ansiedade e a depressão. Para contrabalancear, o Yoga torna-se uma “prática terapêutica alternativa” em grande crescimento para auxiliar no equilíbrio da mente.

Lidar com o ritmo do cotidiano e o caos urbano fica mais fácil com ferramentas como o Yoga. Se você ainda não pratica, com certeza já deve ter visto alguém indicar para esse propósito. Por que não se aprofundar? 

Exercício físico contorcionista? Técnica terapêutica de autoconhecimento? Poses artísticas corporais? Moda das pessoas do movimento “Gratidão”?

Por trás de aparências, julgamentos e das poses fotogênicas dessa “terapia alternativa”, há um conhecimento antigo e muito profundo para se mergulhar. Afinal, o que é Yoga? Para que serve realmente? 

yoga asana arado

O que é Yoga?

Definir Yoga é uma tarefa complexa. A palavra é milenar e foi empregada em diversos contextos ao longo da história da Índia. Não só no tempo, mas de formas multifacetadas nas diferentes tradições de escolas indianas.  

Se recorrermos ao senso comum contemporâneo, definiremos Yoga como um conjunto de práticas físicas que envolve posturas, meditação e respiração. Está errado? Claro que não, mas essa definição é muito superficial se comparada ao poder transcendental que o Yoga pode assumir. 

É inegável que a mística, a confusa bagagem cultural do hinduísmo e suas deidades, fizeram o Ocidente monoteísta interagir de forma diferente com o corpo filosófico. Apropriando-se de alguns elementos, mas descartando outros.

Particularmente, percebo que a noção do que é Yoga ficou presa ao que a prática aparenta ser visualmente, como a flexibilidade no corpo. Tanto é que até o modelo de notebook da Lenovo que se desdobra todo, leva o nome de Yoga.

Essa simplificação de definição esconde da grande maioria das pessoas o vasto conhecimento que há por trás das técnicas iogues. Claro que todas as palavras são fluidas e vão ganhando novos significados e aplicações ao longo do tempo.

Mas se tratando do Yoga, é importante investigar com profundidade a essência dessa palavra. Principalmente para nós praticantes e para quem pretende se iniciar nesse universo. 

E para finalmente responder o que é Yoga, que tal recorrermos às grandes escrituras, os pensadores e organizadores desse conhecimento? 

Separei um vídeo também falando um pouco mais sobre o assunto de forma mais rápida.

Como os sábios definiram Yoga?

O mais famoso Patanjali da história do hinduísmo, foi o grande sistematizador a compilar o conhecimento do Yoga pré-existente há cerca de 2 mil anos atrás em sutras

Desde então, os Yoga Sutras de Patanjali tornaram-se um dos grandes clássicos do Yoga, base para praticantes, iniciados e professores aprofundarem-se nos estudos filosóficos. E ele começa introduzindo o Yoga assim (segundo verso): 

Yogaś citta vr̥tti nirodhaḥ

“Yoga é o domínio dos fluxos da mente”, como basicamente podemos sintetizar esse trecho. Os pensamentos em geral fluem em sequência, a partir de estímulos e associações. Aparentemente não é possível controlá-los, mas…

Com a prática de Yoga, compreendemos a natureza do funcionamento da mente e a permanecer num estado de consciência pura. Elevar a compreensão do que somos para além do fluxo de pensamentos.

“Yoga é a cessação da identificação com as flutuações que emergem da consciência”. Segundo a tradução do professor Marshall Govindan, que considero muito completa. 

A compreensão da diferença entre o “Observador” e “Aquilo que é Visto”, nos faz deixar de nos identificarmos com o que é passageiro, para encontrar o que realmente somos. Ou como algumas outras escolas relatam, a fusão dos dois.

Logo, a prática de Yoga tem como objetivo a autorrealização pelo autoconhecimento. Esse autoconhecimento chega através da prática disciplinada. Esse processo de limpar a consciência do egoísmo, do hábito de achar que somos os nossos pensamentos, sentimentos e sensações passageiras é Yoga. 

Yogah Samãdhih

Yoga é Samadhi. Os Yoga Sutras de Patanjali apresentam de forma bem completa a noção de samádi. E assim sintetiza o Yoga-Bhâshya de Vyasa.

Samadhi é a “comunhão divina”, estado onde se funde observador e aquilo que é observado. Sujeito e objeto são um só. Essa é uma das decorrências máximas da prática meditativa. 

Yoga é portanto a tecnologia da autotranscendência. Onde a realidade máxima pode ser conhecida. Yoga fica muito mais interessante do que uma simples prática física sobre um tapete, não acha?! 

yoga meditação

A vida toda é Yoga

Se por enquanto estávamos falando sobre definições milenares para Yoga, agora chegamos na modernidade. 

Sri Aurobindo foi um verdadeiro revolucionário, reuniu toda bagagem tradicional da Yoga e tratou de adaptá-la ao contexto Ocidental do século XX.

Construir o Céu na Terra, formular um caminho espiritual, que integre também a realidade do mundo material fazem parte da sua filosofia de Aurobindo.

E o Yoga deixa de ser só o resultado final, místico e asceta, mas passa a ser visto de forma integral, em toda a expressão da natureza e do ser humano. 

A vida, de forma consciente ou subconsciente busca a autoperfeição, desenvolver suas potencialidades para encontrar a sua realidade divina. E não há técnicas específicas para isso, seja asanas ou respiração. Basta abrir-se com sinceridade para o poder superior.

Yoga é tecnologia capaz de mudar a forma que você é

Quem diz isso é Sadhguru, um grande yogi atual. O que os anos de experiência mostravam aos praticantes de yoga, a ciência já comprova através de estudos, o yoga é capaz de nos mudar completamente.

A expressão do nosso DNA, o funcionamento da mente, nossos talentos e formas como nos relacionamos com a vida, tudo isso pode mudar positivamente com a prática de Yoga. 

Se como humanos, estamos condicionados ao determinismo desde que nascemos, e por isso estamos andando em círculos… O Yoga é uma tecnologia capaz de romper com esse padrão. 

Complementarmente às definições anteriores, Yoga é a ferramenta capaz de nos desidentificar com o passageiro, as bagagens do passado, para desenvolver a consciência do presente. E assim, caminhar em direção à liberdade. 

Yoga é capaz de levar você no caminho do que você quer ser! 

namaste

Qual o significado da palavra Yoga?

O tradução mais literal para a palavra Yoga é União. E essa palavra traduz muito bem a soma de todas as técnicas e práticas que compõem um verdadeiro estilo de vida baseado em Yoga. 

A palavra Yoga vem da raiz verbal sânscrita, yuj, que significa “conjugar”, “unir”, “somatória” e até “meio para um fim”. 

Essa união também é Shiva e Shakti, princípio masculino e feminino. Do sujeito e objeto, o observador e aquilo que é observado. Atman e Brahman, nosso eu livre de limitações com Deus.

No Brasil também é traduzido como Ioga, o que significa a mesma coisa. É só uma escolha de grafia.

A origem e a história do Yoga

shiva - primeiro yogue - origem do yoga e significado

Quem vê diversas fotos de asanas nas redes sociais, pode pensar que a prática de Yoga está na moda. Mas a verdade é que ela é uma das manifestações culturais mais antigas ainda viva.  

Muito mais antiga que os próprios registros que existem. Eu ouvi de muitos professores que Shiva foi o primeiro yogi cerca de 15 mil anos atrás, transmitiu os seus conhecimentos para antigos rishis, que depois foram espalhando para a humanidade. Será?!

Na antiga Índia floresceram seis grandes sistemas filosóficos, se é que podemos chamar assim, que foram a base para o que conhecemos como Hinduísmo: Vaiseshika; Nyaya; Mimamsa; Samkhya; Vedanta; Yoga. 

Yoga fica no caminho entre Samkhya e Vendanta. Vedanta é o conhecimento final dos Vedas, as Upanishads e é baseada na não-dualidade. A literatura védica é de grande valia não só para o autoconhecimento, mas também para descrever a origem do Yoga. 

Por outro lado, Samkhya tem um visual dual, onde o universo divide-se em Purusha e Prakriti, masculino e feminino. A Consciência Una e a Natureza. Espírito universal e matéria. Base para grande parte da compreensão hindu acerca da natureza.

O sânscrito do norte da Índia, o tamil e o conhecimento dos siddhas no sul da Índia nos dão várias pistas e informações sobre as tradições antigas que se desenvolveram para o que chamamos hoje de Yoga. É certo que estamos falando de algo de alguns milênios de história. E que envolve muitas investigações para um estudo mais aprofundado… E interpretações diversas.

yoga mudra

Os 8 passos do Yoga

Os Yoga Sutras de Patanjali também trazem elucidação para 8 membros que compõem a prática de Yoga. Os 8 passos não são necessariamente sequenciais, mas desenvolvidos simultaneamente.

O conjunto é compreendido como Ashtanga Yoga, que é traduzido literalmente como 8 membros do Yoga. Patanjali descreve como Kriya Yoga, mas também pode ser conhecido como Raja Yoga e é base de grande parte das escolas de yogas.

1. Yamas

Domínio da conduta social:

  • Ahimsa – Não-Violência. Não causar o mal pelos pensamentos, falas e ações.
  • Satya – Verdade. Não mentir, exagerar, enganar, fingir ou agir de forma hipócrita.
  • Asteya – Não roubar. Não tomar ilegalmente do outro o que não é seu.                                                                                                                     
  • Brahmacharya – Consciência e domínio da energia sexual.
  • Aparigraha – Desapego. Não-possessividade e ganância sobre os bens-materiais.

2. Nyamas

Domínio de sí mesmo. Autodisciplina:

  • Shaucha – Pureza. Limpeza física e mental
  • Santosha – Contentamento. Apreciar sem gostar, ou desgostar. 
  • Tapas – Austeridade. Auto-disciplina, esforço sobre sí mesmo.
  • Svadhyaya – Estudo e prática. Escrituras e auto-observação.
  • Ishvara Pranidhana – Entrega a Deus. Confiança na vida.

3. Asanas

Postura correta. Os asanas contribuem para a manutenção da vitalidade física e atualmente encontramos milhares de posturas com inúmeros benefícios para a saúde.

Inicialmente, desenvolveram-se como base para a meditação. Por isso, são firmes e confortáveis. Em outras palavras, a coluna deve estar ereta, com tronco, pescoço e cabeça alinhados e a postura agradável para que seja possível um longo tempo de permanência. Asana é a base, assim como nosso corpo físico, que deve estar em equilíbrio e harmonia.

4. Pranayamas

Maestria da respiração. A consciência no ato de inspirar e expirar é fundamental para controlar o fluxo de prana, o que expande a nossa energia vital. O pranayama é a fonte da longevidade e da mente serena. 

Há diversas técnicas de pranayama, mas o mais importante é que ele esteja sempre presente para sustentar a prática do Yoga. Consciente a todo tempo.

5. Pratyahara

Abster-se dos sentidos. Inibir a percepção dos estímulos sensoriais ou trazê-los para dentro. Manter o centramento interno, apesar das condições externas. Retirar-se do que perturba e limita a mente. Maestria sobre as influências que vem de fora, uma prática importante para estabelecer-se com os outros passos.

6. Dharana

Concentração no objeto da meditação. Prática da atenção contínua uni-direcionada.  Desenvolver a mestria da mente, que é naturalmente inquieta e desfocada. Técnicas para direcionar o olhar, manter a atenção na respiração ou repetição de mantras auxiliam nesse propósito. 

7. Dhyana

É a meditação em essência. A arte da contemplação. Dhyana é ter um fluxo contínuo de consciência, o estado de atenção plena. O aprofundamento natural da concentração. Pode se dar sobre um objeto ou abstração, sem distrações. 

A meditação pode ser realizada através de algumas técnicas, que também podem ter objetivos diferentes. Essencialmente oferece paz e é a ferramenta fundamental em todos os caminhos de Yoga.

8. Samadhi

A comunhão entre observador e o que é observado. O aprofundamento de Dhyana. O estado de superconsciência e absorção cognitiva com o objeto de atenção. 

Patanjali descreve alguns níveis de Samadhi, que podem ser experienciados com a prática integral do Yoga. Importante frisar que é limitante definir o Samadhi, onde o sujeito desaparece, assim como a percepção de separação.

prática de yoga no gramado

Quais os tipos de Yoga?

Já que apresentei um pouco de como podemos definir Yoga, ou mesmo compreender a sua prática. Uma coisa que confunde demais quem vai iniciar no caminho do Yoga e até mesmo muitos praticantes experientes é sobre os vários tipos de Yoga.

Eu mesmo me confundo com algumas definições, ou não compreendo o porquê da divisão entre tantos tipos diferentes, se Yoga é união. Por isso, resolvi resumir um pouco mais sobre esse assunto, junto com a minha percepção pessoal.  

É importante salientar que em essência, os diferentes tipos de yoga são só práticas diferentes que têm o mesmo objetivo em comum. Grande parte delas é, inclusive, indispensavelmente complementar.

 Mas que tratando-se de mercado, é fato que há sim, certas divisões para atrair nichos diferentes de público, ou mesmo para criar um “produto” novo diferenciado. 

Alguns deixam de ter o aprofundamento do Yoga como estilo de vida, para atender uma demanda social mais pontual, como oferecer saúde, relaxamento e por vezes aparência física.

Antes que você pense que isso é um menu, ou que há um tipo superior, ou melhor para cada pessoa, o objetivo com essa distinção é só dar um parecer bem resumido sobre o que cada um deles pode significar. E assim nos ajudar diante da confusão de tantos tipos de yoga.

Hatha Yoga

Define-se em geral como a prática física de asanas e pranayamas. É o Yoga mais difundido, de onde desdobra-se outros ramos também relacionados ao exercício corporal. 

Busca a autorrealização através do corpo. Integrando as energias (masculina/feminina), sem negar o seu imenso potencial. 

Raja Yoga 

Raja Yoga é compreendido como o caminho dos 8 membros, segundo o Yoga Sutras. A tradução de Raja Yoga é Yoga Real. 

Por seguir mais fielmente a sua origem, geralmente está relacionada a preparação e a prática da meditação para chegar-se ao samadhi. 

Jnana Yoga

O Yoga da sabedoria, através do estudo das escrituras sagradas. Está muito relacionado ao Vedanta e o caminho ensinado nas Upanishads.

O discernimento intelectual é a chave dessa prática de Yoga, que busca compreender o absoluto através do exercício mental. 

Karma Yoga

Karma Yoga é a yoga do serviço desinteressado para a humanidade. Para praticá-la basta tornar qualquer trabalho como sagrado e oferecer os seus frutos ao divino. 

Mahatma Gandhi foi um grande exemplo do que é o Karma Yoga. A palavra karma ficou conhecida no ocidente como  “fardo, castigo”, mas significa simplesmente ação. E o ponto central do Karma Yoga é a liberdade na ação. 

Bhakti Yoga

É a Yoga da devoção. Onde o amor e a emoção manifestados para o divino são o caminho para a autorrealização. O caminho de encontro com Deus.

Pode ser praticada através do canto, orações, oferendas e outros rituais. O movimento Hare Krishna é um bom exemplo da força de Bhakti Yoga através do canto. 

Mantra Yoga

Mantra é uma expressão vocal sagrada. Essa prática de Yoga utiliza-se do poder transcendental do som para atingir uma elevação espiritual. A origem vem dos próprios hinos do Vedas, entoados em cânticos.

O som mais fundamental e venerado é o Om, relacionado à própria pulsação do universo e é tão vasto e profundo, que fica difícil limitar em palavras. 

Laya Yoga

Laya é dissolução. A prática consiste, através da profunda meditação, transcender todos os vestígios de memória e experiências sensoriais para atingir o Sí Mesmo.

Laya Yoga também é referenciada como uma terapia psicológica para dissolver traumas e condicionamentos através de relaxamento profundo.

Kriya Yoga

 A Kriya Yoga é uma série de técnicas, kriyas, que conduzem a autorrealização. Uma prática de Yoga integral, condensada, selecionada e revivida por Mahavatar Babaji. 

Kriya Yoga significa “ação com consciência”. Foi difundida no ocidente principalmente por Paramahansa Yogananda.

Outras práticas de Yoga

asanas de yoga no gramado

Kundalini Yoga

A prática é integral e utiliza de várias técnicas para elevar e trabalhar a energia Kundalini, que geralmente está adormecida na base da coluna e tem o potencial do despertar espiritual. 

Tantra Yoga

O estilo de vida do tantra influenciou a Yoga que temos hoje. Principalmente ao trazer a importância de integrar o desenvolvimento do corpo, um templo sagrado que precisa ser trabalhado. Assim é a Hatha Yoga que conhecemos. 

Existem práticas integrais de Tantra Yoga, mas o termo Tantra pode confundir e levar para muitos caminhos. No Brasil muitas pessoas associam com uma terapia de orgasmo, massagem genital. Rende uma boa discussão separar o que é cada coisa. 

Ashtanga Yoga

Pode ser a definição do caminho óctuplo do Yoga, assim como pode se relacionar a outros tipos de práticas físicas, como o Ashtanga Vinyasa

Iyengar Yoga

Uma prática de Yoga moderna, desenvolvida por B.K.S Iyengar, que tem como princípios a perfeição, principalmente dos asanas e a utilização de acessórios para todos poderem praticar.

Para que serve Yoga? Quais os seus benefícios?

Ao discorrermos sobre o que é Yoga, já dá para ter uma boa noção do seu propósito. Mas na atualidade, há muitos outros motivos para Ioga se tornar popular. 

Nem todo mundo que pratica está realmente buscando transcender, moksha, ou atingir samadhi. A grande maioria pratica pelos seus inúmeros benefícios para a saúde.

Saúde Geral

Hoje já existem diversos estudos a respeito da prática de Yoga para a saúde do corpo físico. Aqui vai alguns, segundo Timothy McCall, médico e editor do Yoga Jornal:

  • Melhora a flexibilidade
  • Fortalece a musculatura
  • Emagrece
  • Fortalece os ossos
  • Abaixa a pressão arterial
  • Regula os hormônios
  • Diminui as dores
  • Melhora a respiração
  • Protege a coluna
  • Melhora o sono

Relaxamento

A prática de Yoga com certeza ajuda a relaxar. Esse é um dos grandes objetivos da prática física. Por isso, ela sempre termina com o Savasana (relaxamento). 

Como consequência há uma diminuição da ansiedade, aumento da auto-estima, sensação de bem-estar, consciência corporal e disposição para encarar o cotidiano.

shavasana, relaxamento do yoga

Autorrealização

Felicidade! Essa busca que o ser humano tanto corre atrás, trabalha, constitui família, lê vários livros. O Yoga essencialmente é uma ciência para encontrar a felicidade.

Fora os inúmeros efeitos da prática de Yoga. A autorrealização através da consciência de quem nós realmente somos é vital para ser feliz. Principalmente quando desapegamos de tudo aquilo que não somos. 

Ficar só com o essencial e deixar que o resto se transforme em seu fluxo impermanente. Esse caminho exige um aprofundamento maior na prática de yoga, envolvendo os diversos membros do Yoga.

Arte

yoga arte

Yoga também tem seus benéficos artísticos. A prática de acroyoga, que se faz em dupla ou mais, tem toda uma arte envolta, por exemplo. Hoje também é popular o fotografar dos asanas. A música nos cantos devocionais tem se expandido no universo ocidental também.

A prática de Yoga conecta o nosso lado criativo e expressivo e isso expande com a influência e beleza que toda a cultura indiana transmite. 

Como praticar Yoga? 

Para praticar Yoga é recomendado primeiramente procurar um professor, que pode conduzir você na atividade. Hoje, quase todas as cidades no Brasil têm algum tipo de aula de Yoga. Principalmente de Hatha Yoga, ou outras que envolvam a prática dos asanas (posturas).

Já é um começo para se ambientar com o que é Yoga. E depois procurar dentre os vários caminhos, aquele com o qual você sente um chamado maior.

Outra forma é procurar por conta alguns cursos online, práticas no youtube. Claro que não substitui o contato e desenvolvimento físico, mas é uma forma de começar a conhecer.

Retiros de Yoga

daniel chiarelli - retiro

No Romã Ashram realizamos vários retiros que envolvem Yoga no sentido integral. São atividades durante finais de semana, feriados e outras semanas especiais.

As práticas são indicadas para todo o tipo de pessoa, desde praticantes até pessoas que nunca tiveram contato com nenhuma prática.

Confira  a nossa programação e vem participar de um momento especial conosco. 

Iniciação em Yoga

Caso você já seja um praticante de Yoga, poderá iniciar-se também. Aprofundando a sua sadana(prática diária) e ir desenvolvendo-se de forma autônoma com autoinvestigação.

Geralmente a iniciação é conduzida por um acharya, guru ou instrutur de determinada escola. Eu particularmente sou iniciado na Kriya Yoga e recomendo muito essa iniciação. Para quem quiser saber mais, fica de olho no calendário. 

Então o que é Yoga?

Visto o apresentado, Yoga vai muito além das práticas físicas de Hatha Yoga, pela qual ficou mais conhecido. E sim, envolve todo um estilo de vida, que reúne diversas técnicas para atingir a autorrealização. 

Uma tecnologia com poderes de nos transformar e nos conduzir a uma vida muito mais feliz. Particularmente, conheço diversos praticantes que relatam a transformação que o yoga conduziu em suas vidas.

Se te ajudou, compartilhe com amigos esse guia. Tenho certeza que trará mais clareza para as pessoas a respeito do que é Yoga.

Se tiver alguma dúvida, posso te ajudar. Comenta aqui!

Siga a Escola da Vida pelo Youtube também!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *